Dezembro 12, 2017
Slider

Expectativa de vida no Brasil sobe para quase 76 anos

A expectativa de vida no Brasil aumentou, em 2016, para 75 anos, nove meses e sete dias, ou 75,8 anos, segundo informou hoje (1º) o IBGE. Isso representou aumento de três meses e 11 dias em relação ao ano anterior. Desde 1940, o crescimento foi de 30,3 anos.

Para os homens, a expectativa de vida subiu de 71,9 anos, em 2015, para 72,2 anos. Para as mulheres, de 79,1 para 79,4 anos. Essa diferença, segundo o pesquisador Fernando Albuquerque, reflete o alto índice de violência contra jovens do sexo masculino.

Entre as unidades da federação, a expectativa varia de 70,6 anos (Maranhão) para 79,1 anos (Santa Catarina). Em São Paulo, é de 78,1 anos. Os dados do IBGE são um dos parâmetros para determinar o fator previdenciário.

A mortalidade infantil (crianças menores de 5 anos) caiu de 16,1 por mil, em 2015, para 15,5 por mil. Entre os nascidos do sexo masculino, essa probabilidade era de 14,4 e entre as meninas, de 12,2 por mil. 

 Albuquerque afirma que, a partir de 1940, com introdução de alguns avanços da medicina a políticas públicas de saúde, houve uma fase inicial de transição demográfica, com o começo da queda das taxas de mortalidade. 

"Um pouco mais a frente, fatores como campanhas de vacinação em massa, atenção ao pré-natal, incentivo ao aleitamento materno, contratação de agentes comunitários de saúde e programas de nutrição infantil contribuíram para o aumento da expectativa de vida do brasileiro ao longo dos anos", diz o instituto, lembrando que, apesar do crescimento contínuo, o Brasil segue abaixo de países como Japão, Itália, Singapura e Suíça, cujo indicador de expectativa de vida em 2015 era de 83 anos.